quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Poema Feliz


Não sei escrever poemas felizes,
Dizes.
Só a semente da inquietação
E a lâmina da angústia
Geram em mim
Campos de poesia
Frases e rimas,
Nunca a alegria.
Só a dúvida e o desespero
Me aparentam ser verdade,
Nunca a felicidade.
Só a dor e a miséria
Às vezes a saudade
Só um querer desatendido
Um sonho frustrado
Nunca as flores de um prado,
Nunca uma gargalhada.
Só a alma apertada,
Me alinha as palavras,
De uma dor desfiada.
Só os tons de cinzento
Me concedem expressão,
Nunca um dia de Verão,
como hoje.
Agora mesmo
Enquanto me olhas
Por entre pétalas e espigas
O sol incendeia-te o olhar
Em resplendor...
Nada digas.
Um poema feliz?
É este amor.

(Dezembro 1998)

2 comentários:

Café P11 disse...

el portugués se parece al español.
cheers!

Oui C'est Moi disse...

Sabemos falar melhor de dor do que de amor. Do amor não se deve falar, deve-se sentir e mostrar.