segunda-feira, 16 de março de 2009



E isto é o que precisas saber.
Estás sempre só.
Solteiro, casado, com namorado ou namorada, sem namorado, entre namorados, com um, dois ou mais namorados. Numa relação aberta ou fechada. Numa amizade colorida, a preto e branco, aos quadradinhos ou às florinhas.
Estás sempre só.

Tu és um indivíduo único e nunca ninguém te conhecerá por completo. Talvez, com dedicação, um dia, tu possas chegar lá bem perto. Talvez tu, e somente tu. Ninguém mais habita a tua alma, ninguém mais sente o seu estado cambiante.
Só tu podes aspirar a saber em cada momento, o que precisas, o que te inspira, o que te move.

Estares só… é não saberes o que vai acontecer amanhã, de que forma vais crescer… é aventurares-te e descobrires!
É nascer, morrer e renascer. É enlutecer e florescer.
É atravessar canais de parto.
Só tu o podes fazer. Só tu te podes dar à luz.

Ao longo da tua vida estabeleces uma miríade de relações… tens uma família, tens um marido ou uma mulher, um companheiro, tens amigos (os reais e os imaginários), pertences a grupos, podes até ter uma comunidade.
No barulho de todas as tuas relações, tens a ilusão de não estares só.
De quanto de ti abdicas por essa ilusão?
Quanto medo tens de conheceres quem realmente és?
Sim, porque só o podes fazer no absoluto silêncio e solidão.
Só aí escutas o singular bater do teu coração.
Só aí encontras verdadeiras respostas a todas as perguntas.
São as tuas respostas.
E só sem medo de estares só, exercerás livremente as tuas escolhas.
Estares só é a experiência mais real. A que move todas as outras.
Só sabendo estar só, saberás estar com os outros.

E neste vai-vem, saberás… que só duas substâncias na vida, inevitavelmente indissociáveis, são reais.
O amor incondicional e a dor incomensurável.

(meditação matinal de uma caracoleta... enquanto corria na areia)

8 comentários:

Palavras de Osho disse...

Maravilhoso texto. Belíssima meditação!

Caracoleta disse...

Grata pelas palavras e pela presença! Quanta honra ser "seguida" pelo Mestre ;) Um abraço!

... isabelle disse...

A melhor forma de começar o dia??

Lendo e ouvindo "O Vento nas Papoilas"

Fausto Sotam disse...

A solidão é sempre necessária para ouvirmos, o Interior, A sós descobrimos, que nada existe sem o nosso imã, há sempre uma força que nos puxa de volta ao "cenário", estamos sempre a desbravar terreno, por mais que não quisermos, o instinto devolve-nos á Natureza, A arte da de estar só, difere de estar na solidão...

Preta disse...

Me sinto menos sozinha, pensando com você.
Um beijo, minha Carlota.

disse...

essa é que é a verdade... nem mais nem menos.

Oui C'est Moi disse...

"E só sabendo estar só, saberás estar com os outros."

Eu não sei estar só, apesar de passar muito tempo só. Não gosto da solidão. Não são o mesmo, estar só e solidão...

Não sei como aprender a estar só e a saber estar com os outros.

Um abraço

lecarioca disse...

Olá amiga
como vai ?
vim fazer um visita.
adore o texto, bem escrito
bjs