terça-feira, 7 de abril de 2009

Asas



Aqui estou.
Feita árvore de raízes
enterradas na terra
e ramos que se estendem ao céu
pedindo o abraço das nuvens,
invejando os pássaros
que brevemente poisam
antes de se lançarem
em audaciosos vôos
e coloridos bailados de penas.

Nascem cheios de verde
esperansiosos, os meus frutos.
Agitam-se em danças
e frenéticos tremores
tontos, os meus frutos.
Pareço ouvir os seus suspiros
antes de caírem finalmente
lágrimas-semente
na terra molhada
pesados de tristeza
não alcançada a grandeza...
tontos, que tontos...
Pássaros sem asas, os meus frutos.



Aqui estou.
Estes braços-ramos estão cansados.
Este corpo-tronco atordoado
entre a dor das raízes e o êxtase das folhas
e dos frutos...
lágrimas...
...sementes
ovos...
...pássaros
penas...
...asas que se erguem no céu!
Tontos.. que tontos!...
Bêbados de felicidade,
os meus frutos!



(7Set93... bebedeiras de escrita)

2 comentários:

Lemniscata disse...

Costumo passar por aqui... normalmente passo calada mas hoje não resisti :)! Bjs *****

Caracoleta disse...

Bem-vinda Lemniscata! E que bom foi não teres resistido! Assim, deixaste-me a porta entreaberta para a tua encantadora oficina de artes e feitiços! Já lá tens na cozinha, o rasto de uma caracoleta aprendiz de feiticeira... :) Beijos!