domingo, 25 de abril de 2010

E a propósito de Liberdade...

... lembrei-me de desencantar do baú... este velhinho poema que escrevi, há já uma boa dúzia de anos.



Estradas

Não amo mais.
Se me pronunciares essa palavra
Vou rir na tua cara
Posso fingir
Até divertir-me.
Podes acreditar que me tens.
Mas não.
Agora sou livre.
Vou passar por ti e por quem vier
Mas no fundo dos teus olhos só vejo estradas.
Não vou ficar.
Desculpa se te atravesso
Não te derrames
Não te posso ajudar
Não preciso de ajuda
As tuas palavras doces
São brinquedos.
Ao cair da noite
Ficarão espalhadas pelo chão
Onde ainda ontem
Brilhavam na escuridão
Como fantasmas, as promessas
Um longo e inebriante abraço.
Não digas nada.
Se alguma vez amei
Foi um sonho.

3 comentários:

By Deva disse...

Lindo!

Cacarina disse...

Que lindos!...
Os poemas, as músicas, tudo...
Um beijo,
Claudia

Carla Guiomar disse...

Beijos... Grata por fazerem sentir a vossa presença!