quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Mudar


Há alturas na vida em que sentimos um formigueiro cá dentro, algures entre o estômago e o coração... e que cresce de dia para dia, até não poder mais ser ignorado.

Não estamos bem como estamos, onde estamos. Cansámo-nos. Não há mais por onde crescer. E há uma inquietação crescente...
Há o céu para voar... uma visão que nos chama, um outro lugar à nossa espera. Um lugar único e pessoal, a ser criado por nós, pelo nosso amor, pela nossa coragem. Só não sabemos ainda o que fazer, que passos dar, para chegar onde queremos.

Quando a nossa existência está alinhada com a nossa alma, há sinais no caminho que não nos passam despercebidos, tudo à nossa volta está recheado de significado profundo.

Tudo o que tem valor para nós, aqui e ali, dia após dia, se apresenta com clareza, sob todas as formas, todas as cores, todos os nomes. Liga-se e entrelaça-se... de uma forma harmoniosa, perfeita. Numa frequência comum. Na vibração do nosso mais íntimo e vital desejo. Na temperatura da nossa paixão.

Demore o tempo que tem que demorar, sabemos que estamos a caminhar para lá, activamente, atentamente, conscientemente, com todo o poder da nossa intenção.


Como diz Gary Zukav em "Soul to Soul - Communications of the Heart"
Não há vento que possa fazer cair um fruto antes de este estar maduro, e quando este está maduro, nada o consegue aguentar no ramo.

E é assim mesmo. Com toda a serenidade. Um dia, chega um momento em que, simplesmente, e naturalmente, sabemos que é altura de abrir as asas e... mudar.

5 comentários:

Z disse...

e então temos de aprender a abrir as asas e voar :)

arKana disse...

que bom! apesar do formigueiro que dizes, transpareces uma certeza... que acalma qualquer inquietação ;) beijos

Bolos de Encantar disse...

Meu formigueiro está giganteeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee! É de cortar a respiração... tão grande que não cabe mais em mim...Já tenho o poder BELIVIX e quando isso acontece bem sabes que trocamos de asas... para voos mais altos e mais longos.

A Casa Onde Vivemos... disse...

Não há nada a recear... tudo está bem no vosso mundo, tudo cresce, muda, se transforma e se é preciso cair, é na queda que descobrirão que têm asas para voar :-)
Um abraço do coração
isabelle

MJV disse...

:) Bora aprender a voar!!!! Abraço, Zé V.