sábado, 8 de outubro de 2011

Idade



Tenho trinta e oito anos de uma coisa chamada idade, e três cabelos brancos.
Descobri-os há uns meses atrás... primeiro só um, brilhando como prata... uns dias depois outro.. e outro. Um, dois... e três.
Desde então, de vez em quando, dou por mim a procurá-los ao espelho, nem sei bem porquê, mas gosto de os ver, gosto de os encontrar ali, sempre no mesmo sítio, teimosa e orgulhosamente prateados.
E gosto ainda mais, quando nessa busca, esses olhos que procuram... se encontram a si próprios, e eis que continuam a ter as mesmas cores... castanhos, verdes, dourados, brilhantes, perscrutantes, curiosos, ávidos, espantados, encantados, no centro de tudo... e sempre, sem idade.

***

I have thirty eight years of a thing called age, and three white hairs.
I found them a few months ago... at first only one, silver shining... a couple days later, another and another. One, two... and three.
Since then, I find myself looking for them at the mirror, don't really know why, but I like to see them, I like to find them there, always in the same place, stubbornly, proudly silver.
And I like it even more when, in that search, those eyes that seek, find themselves, and there they are, still showing the same colors as ever... brown, green, golden, shimmering, investigating, curious, avid, astonished, enchanted, in the center of it all... and always... ageless.