terça-feira, 8 de maio de 2012

Central park


Estou sentada no parque.
Aqui tenho estado... há 25 anos... há 20 anos... há 10 anos... a semana passada...
Aqui tenho estado sempre.
Os pássaros ainda cantam. O lago ainda é verde.
E eu já não sei... que mais posso fazer ou sonhar.
Hoje estou tão somente... cansada de querer.
Cansada de sentir.
Estarei cansada de ser?
Quanto tempo conseguirei ficar aqui sentada, imóvel.
Quanto tempo até alguém me chamar de volta...
Ou então enlouquecer de vez e partir.
Venho e vou.
Sou prisioneira dos dias como as ondas são dos oceanos.
Mas elas não precisam ser felizes e por isso podem ser simplesmente livres.
Quem está dentro?
Quem observa, quem sente, quem quer?
Como posso eu elevar-me acima de... todo o sentimento, todo o querer,
todo o cansaço dos dias, o ir e vir, o pensar, o escrever, sim até o escrever.
O querer escrever.
Para quê tudo isto?