sexta-feira, 24 de agosto de 2012

O presente


"Se pudesses imaginar a mais incrível das histórias, seria ainda assim, menos incrível do que a história de estar aqui. E o mais irónico é que essa história não é uma história, é verdade. Levamos tanto tempo a ver onde estamos. Levamos ainda mais tempo a ver quem somos. E é por isso que o maior presente com que poderias alguma vez sonhar é um presente que só podes receber de uma única pessoa. E essa pessoa és tu próprio. E assim, o convite mais subversivo que poderás algum dia receber é o convite para despertares para quem tu és e onde aterraste. Platão disse em 'O Simpósio' que um dos maiores privilégios de uma vida humana é tornar-se parteira do nascimento de uma alma, noutra. Quando a tua alma desperta, começas verdadeiramente a herdar a tua vida. Deixas o reino das superfícies falsas, da conversa repetitiva e dos papéis enfadonhos e deslizas mais adentro na aventura de quem verdadeiramente és e de quem és chamado a ser.
O melhor amigo da alma é o desconhecido".
 * * *
"If you could imagine the most incredible story ever, it would be less incredible than the story of being here. And the ironic thing is that story is not a story, it is true. It takes us so long to see where we are. It takes us even longer to see who we are. This is why the greatest gift you could ever dream is a gift that you can only receive from one person. And that person is you yourself. Therefore, the most subversive invitation you could ever accept is the invitation to awaken to who you are and where you have landed. Plato said in The Symposium that one of the greatest privileges of a human life is to become midwife to the birth of the soul in another. When your soul awakens, you begin to truly inherit your life. You leave the kingdom of fake surfaces, repetitive talk and weary roles and slip deeper into the true adventure of who you are and who you are called to become. The greatest friend of the soul is the unknown".

John O'Donohue in 'The Question Holds The Lantern'
(tradução livre de Carla Guiomar)

A estrela



Já vi muitas estrelas cadentes ao longo dos meus quase 40 anos de vida... são rápidos rastos de luz, distantes... e sempre que vejo uma, sorrio e penso rapidamente no meu desejo... e fico sempre a pensar se pensei suficientemente rápido... Mas ontem à noite algo de extraordinário aconteceu... No regresso de um jantar muito feliz com duas amigas muito especiais... em que a conversa foi em torno dos nossos sonhos e a coragem de os viver... ali vinha eu de alma e coração cheio, a conduzir na A2 Sul, na minha cabeça a visão do meu sonho... e eis que surge à minha frente uma bola de fogo a cortar o céu, tão grande, tão brilhante, tão perto!!... como eu nunca vi!! Por um instante pensei que ia sentir a Terra a estremecer! Uns 3 segundos esplendorosos... e desfez-se pouco antes de tocar o horizonte... A estremecer por dentro fiquei eu... extasiada, estupefacta, deslumbrada... a mais bela das estrelas veio iluminar o meu desejo!!! 23 de Agosto, 23h45. Inesquecível.